Total de visualizações de página

sábado, 28 de fevereiro de 2009

Aprendendo a dizer Nao...

Algumas pessoas com quem você se relaciona em casa ou no trabalho andam folgadas demais e você se chateia com o comportamento delas? Entretanto, por ser da paz você não quer arrumar encrenca e prefere engolir sapo e ficar no seu canto?

Saia dessa, amigo. Está na hora de deixar de ser o bonzinho e botar essa turma na linha. Você não vai, gratuitamente, azucrinar a vida de ninguém. Por outro lado, também não vai baixar a cabeça e permitir que os outros tripudiem sobre você.

Se você tiver de escolher entre ficar aborrecido porque se manteve quieto diante do comportamento inconveniente de alguma pessoa ou agir para se defender, mas com chances de que ela se chateie, meta o xis na segunda hipótese.

Dizer 'não' e recusar é uma arte que leva uma vida inteira para ser aprendida e aperfeiçoada. Uma arte que precisa ser cultivada o tempo todo, pois nunca desaparece o risco de que possamos cair em tentação, fraquejar diante do canto da sereia e dizer sim, quando na verdade desejaríamos dizer não.

Se alguém que trabalha ao seu lado costuma fazer brincadeiras de mau-gosto diante de outras pessoas e isso o incomoda. Se a sua namorada ou namorado tem o péssimo hábito de não cumprir horários e esse descompromisso o chateia.

E você se desgasta porque não consegue dizer que gostaria muito que adotassem outro jeito de se comportar, está mais do que na hora de você mudar e aprender a ser mais assertivo.

Saiba, entretanto, que ter uma atitude assertiva não significa declarar guerra e passar a digladiar com outras pessoas, mas sim dizer tudo o que for necessário, na hora certa e da maneira apropriada.

Quando as pessoas adotam a política do 'deixa pra lá' e se mantêm passivas diante das situações que as incomodam, o resultado pode ser desastroso. Além do desconforto que as infelicita, correm o risco de se sentirem tão pressionadas que às vezes não conseguem medir suas reações. Algumas perdem o controle, viram a mesa e se tornam agressivas.

Se aquele colega de trabalho não souber que as brincadeiras que faz diante das outras pessoas o incomodam, poderá interpretar erroneamente que o motivo da sua cara emburrada seja outro.

Com atitudes assertivas você terá condições de construir relacionamentos mais sólidos, projetará uma personalidade mais consistente e terá mais atenção e admiração das pessoas.

O primeiro passo na busca da assertividade é aprender a não ser agressivo. Saiba como se relacionar com as pessoas de maneira clara, direta, objetiva, mas sempre levando em conta os sentimentos que elas possuem e a circunstância em que se encontram.

Insisto, não confunda ser assertivo com ser agressivo. Não saia por aí armando barraco, repreendendo as pessoas porque não agem de acordo com sua vontade. Isso é grosseria, não assertividade.

A comunicação assertiva tem por objetivo esclarecer situações obscuras, enevoadas, que por não serem discutidas de forma correta e permanecerem desconhecidas por pelo menos uma das partes podem produzir desconfortos e mal-entendidos.
Como e onde falar

Naquele exemplo hipotético que vimos acima, como você deveria falar com o colega de trabalho que o incomoda com aquelas brincadeiras?

Você poderia falar, sem tom de crítica, como o comportamento dele se repete quando estão diante de outras pessoas, como essa atitude o deixa contrariado e pediria para que ele mudasse a maneira de se comportar. Em seguida explicaria como você se sentiria mais confortável e mais à vontade com essa mudança.

Embora você devesse evitar o tom de crítica, provavelmente ele sentiria que o comportamento dele está sendo criticado e tentaria se defender com gracejos, risadas ou comentários que pudessem minimizar a importância do fato.

Por isso, durante a conversa você deveria falar de maneira firme, sem hesitações, para deixar claro que o assunto é importante. Entretanto, repito, sem agressividade.

Nessas circunstâncias é muito importante, embora seja difícil, não demonstrar nervosismo ou descontrole emocional.

Se um dia você passar por situação semelhante, fale sem desviar os olhos do interlocutor. Evite esfregar nervosamente as mãos. Não grite nem segure a voz na garganta.

Para agir assim você precisará de prática e de determinação. Exercite inicialmente em situações mais simples, com pessoas mais próximas, onde as conseqüências não sejam tão graves. À medida que for se sentindo mais experiente e seguro atire-se em empreitadas mais complexas.

Escolha o lugar certo. Esse tipo de conversa não pode ocorrer diante de outras pessoas, nem em lugares inadequados como corredores ou elevadores. Muito menos por telefone.

Quanto mais reservado for o lugar da conversa maiores serão as chances de sucesso. Procure falar também em um horário com pouca ou nenhuma chance de interrupção.

O coração vai disparar. Eu sei que nem sempre é tão simples agir assim, mas esse é o melhor caminho a ser seguido. Mesmo que o coração esteja saindo pela boca, faça o possível para manter o equilíbrio.

Não dê uma de coitadinho. Nada de chororô. Se quiser ser respeitado e ouvido seja firme, olhe na direção do interlocutor sem fugir com os olhos, fale 'para fora', não fique esfregando as mãos ou cruzando e descruzando as pernas nervosamente. Mostre que você tem razão.
Prepare-se para o embate

Principalmente se você não estiver acostumado com conversas assertivas, saiba que terá de aprender a lidar com os sentimentos. Com os seus e com os do seu interlocutor.

Não existe atalho mágico. Por mais gentil e claro que você seja, ao dizer a uma pessoa que o procedimento dela o desagrada, poderá provocar uma atitude defensiva e, em alguns casos, até agressiva.

Por isso, prepare-se para enfrentar essas reações como sendo normais e fazendo parte do processo. Tenha em mente também que nem todas as pessoas aceitarão uma conversa mais franca.

O importante é saber que a situação deve ser resolvida, ou por ser errada, ou por ser injusta, ou porque o desagrada.

Você agirá da forma mais eficiente que puder para não desagradar ou não tornar a outra pessoa infeliz, mas se isso vier a ocorrer, ela deverá se conscientizar de que não estava agindo de maneira adequada e encontrar dentro de si mesma o equilíbrio de que precisa.

Tome cuidado também para não imaginar desnecessariamente e de forma exagerada que a outra pessoa irá se sentir muito mal ao ouvir suas ponderações.

Embora isso possa ocorrer, nem sempre acontece e, quando surge a reação negativa, na maioria das vezes a intensidade é menor do que se esperava.

Saiba que se acomodar em conversas superficiais, evitando esclarecer situações que o incomodam é só uma forma de adiar um confronto que no futuro terá muitas chances de ocorrer.

Sem contar que embora possa existir um desconforto momentâneo, os resultados da comunicação assertiva projetarão sua imagem e sua personalidade de maneira muito mais positiva.
O preço de ser assertivo

Para dizer a alguém o que precisa ser dito com o fim de esclarecer mal-entendidos, marcar sua posição, reorientar rumos, tomar partido e até afastar da vida algum desconforto ou incômodo, será preciso conviver com algumas pessoas magoadas e até enfurecidas.

Lógico que com jeito, traquejo e experiência essas inconveniências vão diminuindo, mas nunca desaparecerão totalmente. Cabe a você decidir se vale ou não a pena ser mais respeitado e viver uma vida plena e enfrentar alguns pequenos dissabores, ou continuar incomodado e até infeliz só para que as outras pessoas que o estão desconsiderando não sejam perturbadas.

Vá com calma. Não precisa tratar todas as situações a ferro e fogo. Se você se comportar com sensibilidade, inteligência, bom senso e capacidade de discernimento, saberá julgar quando é o momento de agir e quando deverá se resguardar.

Se essa conversa servir para que você faça uma boa reflexão sobre as vantagens e as inconveniências de ser assertivo, ficarei satisfeito. Espero que tome sempre a melhor decisão para melhorar o relacionamento com as pessoas e, acima de tudo, que seja muito feliz.

SUPERDICAS

* Não permita mal-entendidos no seu relacionamento com as pessoas;
* Se a atitude de uma pessoa o desagrada, converse com ela a respeito;
* Seja firme ao falar com as pessoas, mas nunca use um tom agressivo;
* Saiba que algumas pessoas se sentirão magoadas com sua conversa franca;
* Fale com as pessoas sempre separadamente, em local apropriado;
* Escolha o melhor horário para ter conversas assertivas.

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009

Conga...Quem se lembra???



Ahhh...!!
Conga, simplesmente, conga.
Você usou? Não?
Não sabe o que perdeu.

Um tênis baratinho e, confortável pra caramba.
Eu usei nas aulas de Educação Física.
No primário, eram congas brancas... e no ginásio, eram vermelhas.

Mas usava no dia a dia, também...

Na minha época (antigo isso, né), não tínhamos a frecura de tênis de marca e tal.
Aliás, nada de marcas... principalmente na infância.

Roupa boa, era aquela que se herdava do primo ou dos tios...

Estou falando de mil novecentos e garrafa de rolha, né.

Diferente da molecada de hoje.
Se eles tivessem vivido naquela época, teriam cortado os pulsos... rsrsr...

terça-feira, 24 de fevereiro de 2009

Ouvindo á Deus...




Estou um pouco cansado mas feliz...
Hoje pela manha o Sidney passou aqui e me levou pra Nova Venecia no retiro da Geraçao Forte.

Como vcs sabem nao fui por causa da minha saude.Fiquei aqui pra me cuidar melhor e descansar...

Cara fui pro retiro...

Muito bom mesmo.Me arrependi de nao ter ido todos os dias...

Hoje mais uma vez pude perceber o quanto sou amado...

Chegando lá veio um amigo,o Patrick todo empolgado de me ver e me deu aquele abraço de aconchego,de colo; vc entende???

E me deu os parabens atrasado;embora eu pense que os amigos nunca chegam atrasados.

Me senti tao amado nao só por ele mas tbm pelos outros da igreja como por exemplo meu pai...

Foi mto bom conversar com ele sobre a minha vida e ver a opiniao dele sobre as minhas atitudes.

Tive medo de ser reprovado por ele...

Qto ao culto foi uma bençao.Meu pai pregou sobre OUVIR A DEUS...
E deu uma serie de itens de como ouvir a Deus.Um deles é sobre companhias...1cor15:33
Devemos ser cautelosos qto as nossas amizades.
Devemos gastar tempo buscando a Deus...

Depois teve o almoço.Confesso que extrapolei um pouco...
Tava maravilhoso.Almocei tomei refri,acaí...

Mas tudo valeu a pena...

Perfeito!!!

Fica aqui a promessa de que no próximo eu nao vou perder...

Já vou começar a economizar pra isto...

Felizzzzzzzzzzzzzzzz...

.

domingo, 22 de fevereiro de 2009

Pra rir um pouco

Querida,

Escrevo para dizer que vou te deixar.
Fui bom marido por 7 anos.As duas últimas semanas foram um inferno.O seu chefe me chamou para dizer que você tinha pedido demissão e istofoi a gota.Na semana passada, nem notou que não assisti ao futebol.Te levei na churrascaria que mais gosta.Chegou em casa, nem comeu e foi dormir depois da novela.Não diz que me ama, nunca mais fizemos sexo.Está me enganando ou não me ama mais.PS. Se quiser me encontrar, desista.A Júlia, aquela sua 'melhor amiga' da academia e eu vamos viajar parao nordeste e vamos nos casar!

Ass: Seu Ex-marido.

...........................................................

Resposta:

Querido ex-marido,

Nada me fez mais feliz do que ler sua carta.É verdade, ficamos casados por 7 anos, mas dizer que você foi um bommarido é exagero.Vejo a novela para não lhe ouvir resmungar a toda hora. Reparei quenão assistiu futebol, mas com certeza, foi porque seu time tinhaperdido e você estava de mau humor.A churrascaria deve ser a preferida da amiga Júlia, pois não comocarne há dois anos.Fui dormir porque vi que a cueca estava manchada de batom.Rezei para que a empregada não visse.Mas, com tudo isto, ainda o amava e senti que poderíamos resolver osnossos problemas.Assim quando descobri que eu tinha ganhado na Loteria, deixei o meuemprego e comprei dois bilhetes de avião para o Taiti, mas quandocheguei em casa você já tinha ido.Fazer o quê? Tudo acontece por alguma razão.Espero que você tenha a vida que sempre sonhou.O meu advogado me disse que devido à carta que você escreveu, não terádireito a nada. Portanto, se cuida!
PS. Não sei se lhe disse, mas a Julia, minha 'melhor amiga', estágrávida do Jorginho,nosso personal. Espero que isto não seja um problema...

Ass: Milionária, Gostosa e Solteira.

sábado, 21 de fevereiro de 2009

MTA DOR...




Queria começar o post de hoje falando um pouquinho sobre saude...

Nao é segredo pra ninguém que eu detesto ir ao medico...

Nao é por medo de hospital nao.Até porque eu adoro hospital e cuidar de doentes,inclusive etive fazendo enfermagem no passado...

Sempre fiquei adiando algo que é totalmente necessario...Me cuidar...

De uns dias pra cá tenho me sentido meio fraco...Me canso com facilidade e qualquer peso que pego é motivo pra um dor insuportavel na coluna...

Alias dor na coluna me fez trocar de cama e colchao no ultimo mes...

Outro dia eu estava no Master qdo comi um pao de hamburger com um copo de suco.Dentro de 5 minutinhos eu estava me contorcendo de dor.

Uma dor estranha parece que cortando por dentro.
Pensei que tinha sido o pao...e dai tomei uma agua com gas.
Comecei a vomitar mto...Mas passou a dor...

Na madrugada do mesmo dia eu acordei gemendo de dor...a mesma dor...
Nao aguentei e liguei pra Geovane chorando de tanta dor...

Ai eu tomei um comprimido e a dor passou...

Qdo foi hoje estava no restaurante morrendo de dor.fui a farmacia e comprei um buscopan e tomei.

Mas esta dor só foi aumentando a ponto de eu ficar desesperado e pedir aomeu patrao pra assumir o meu lugar pra eu ir embora.

Vim direto pro pronto socorro aqui perto de casa.

Fiz uma consulta e o medico pediu pra eu nao tomar nenhum remedio pra dor,porque pode ser apendicite.

E que era pra eu ir correndo pro hospital qdo a dor voltar forte.

Vim pra casa e dormir a tarde e acordei agora.A dor passou,mas estou de alerta.

De qualquer forma vou fazer um plano da unimed e me tratar melhor.

Fica a promessa...

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

Minha casa me guarda como um abraço

A revista Casa Cláudia - ano 30 publicou um poema lindo, da filósofa Viviane Mosé. Vasculhando minhas revistas antigas me deparei com este linda e sensível descrição de uma casa e não pude deixar de dividir com vocês.
Segue abaixo poema na íntegra:

Minha casa me guarda como um abraço

É preciso fritar o arroz bastante
antes de colocar água fervendo.
E não pode mexer jamais depois de a água ser posta.
O alho deve fritar junto com o arroz.

Coisas que eu sei e que não. Eu sei muitas coisas.
Faxina, por exemplo. Sei limpar uma casa de tal modo
que não sobra um canto que não
tenha sido tocado por minhas mãos.
Depois vou sujando. Com muito gosto.
Deixo peças na sala e louças na pia.
Não na mesma hora, mas um pouco bastante depois
volto limpando. Assim me faço.
Nos abjetos que me acompanham.

Gosto de andar nas ruas e comprar coisas
que vão se arrumando em torno de mim.
Eu tenho muitas coisas,
quero dizer, tenho muitas camadas.
Uma camada de livro, outra de sapatos.
Tem a camada de plantas. A toalhas de rostos.
Tenho camadas de cosméticos e adereços.
Uma camada de nomes e coisas que vejo.
Tudo ordenado ao meu redor. Em forma de corpo.
Um corpo que me sustenta
quando o meu próprio me falta.

Cadeiras são meus ossos.
Sapatos são meus braços.
Torneiras são meus poros.
Paredes como roupas de inverno.
(Quando toca música em minha casa sai do umbigo.)

Descanso recostada nas paredes da casa
que me guardam como um abraço.
Me abraço quando e derramo na sala.
E na cozinha. Em geral adormeço no quarto.

Tudo em minha casa tem existência.
Todas as coisas significo. Com os olhos.
Ou com as mãos. Minha casa tem silêncios
que às vezes ouço. Em meu corpo
tem silêncios maiores ainda.
Que as vezes ouço. E faço poemas.
Faço poemas dos silêncios que ouço.

Ando com manias de lustra-móveis e ceras líquidas.
Olho um por um nas prateleiras. Sinto a textura e o cheiro.
Espalhando um pouco entre os dedos. Prefiro os de textura fina
e que cheiram a jasmim (gosto mais do aroma floral mas a palavra jasmim é tão bonita).
Levo todos pra casa e vou espalhando. Primeiro o assoalho.
Considero todos os cantos. Depois os móveis
com as mãos vou tateando. Um por um.
Em reverência.
Ao que me sustenta em desamparo.

As casas me sustentam em mim. Por isso as quero em detalhes.
Bem cuidadas e cheias de espaço onde novas coisas se deitam.
Costumo encontrar tesouros escondidos na dobras das colchas.
E nas louças sujas da pia. Tenho muitas janelas.
Que é por onde o sol e a chuva me visitam.
O vento aqui é muito forte.
Às vezes derruba tudo e eu gosto.
Mas aqui também cabem pessoas.
Tem sempre lugar pra pessoas em mim.

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

O GÊNIO

Um judeu caminhava pelo deserto, quando encontrou uma garrafa de Coca-Cola. Ao abrir a tampa...

- Surpresa! - apareceu um gênio - Olá! Sou o gênio de um só desejo, às suas ordens.

- Então, eu quero a paz no Oriente Médio. Veja esse mapa, quero que esses países vivam em paz!

O gênio olhou bem para o mapa e disse:

- Cai na real amigo. Esses países guerreiam há 5 mil anos! E para falar a verdade, sou bom, mas não o suficiente para isso. Peça outra coisa.

- Bom... Eu nunca encontrei a mulher ideal. Você Sabe... gostaria de uma mulher que tenha senso de humor, goste de sexo, de cozinhar, limpar a casa, lavar, passar, que não seja ciumenta, que goste de futebol, aprecie uma cervejinha, seja fiel, gostosa, bonita, jovem, carinhosa e não se importe de eu não ter dinheiro..

O gênio suspirou fundo e disse:

- Deixa eu ver a merda desse mapa de novo ... !!!

terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

Meu niver ...Parte II

Nao podia deixar de postar sobre algo especial que me aconteceu hoje no meu trabalho...

Tava meio desiludido com esta historia de niver...

Caramba ninguem se lembrou de me ligar e quem se lembrou nao ligou...

Qdo digo ninguem me refiro a pessoas que convivem todo dia comigo...Como por exemplo o povo da igreja...

Tenho amigos mto especiais na igreja como o Borba,Patrick,Livio,Geovane,e mtos outros...

Poxa vida...nenhum deles sequer apareceu depois pra desejar felicidades atrasado embora eu pense que votos de felicidades nunca chegam tarde demais...

Bem mas voltando ao que aconteceu hoje...

Qdo cheguei no restaurante minha patroa veio logo falando deste aniversario...

E eu querendo morrer de tanta vergonha...Pq fiz mil e um planos esperando por este dia...

Desci no vestiario e vesti uma roupa pra trabalhar...e qdo subi ja encontrei a cozinha vazia...Tudo bem...As vezes isto acontece...

Sai no salao e fui pra parte onde estao os banheiros...

Qdo cheguei numa parte que eu amo no restaurante por tere uma vista linda do Rio cricare, estava todo o pessoal do restaurante reunido com o bolo e começaram a cantar os parabens...

Foi um sonho...Tudo tao bonito,um bolo de chocolate com recheio de coco...Maravilhoso...

Me senti tao amado por pessoas que conheço a menos de um ano...

Ganhei ate presentes...

Foi lindo demais...

O meu colega gravou...Vou ver se tem como tirar umas fotos pra postar depois...

E depois conto mais pq agora ja ta tarde...

Felizzzzzzzz...

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

Meu niver...

Decidi postar agora um email que mandei pra Geovane o meu irmao e um de meus melhores amigos aqui...

Oi moço

Quem diria heim...Vc esquecer meu niver!!!Como vc diz nao esqueceu apenas nao ligou.
Toni Emilio lembrou a noite qdo liguei pra ele...a tá...
O Livio foi mais sincero e falou a verdade...
Sabe,se fosse nos velhos tempos era motivo de mta choradeira,reclamaçao e cara virada pra todo mundo...
Motivo pra achar que ninguem me ama,que sou excluido,e me sentir a pior pessoa do mundo...
Mas hoje isto nao acontece por eu ter certeza de quem eu sou e do meu valor...
Nao o valor que as pessoas me dao mas o valor que Deus me dá e eu dou...
Graças a Deus eu pude crescer mto e aprender a lidar com meus sentimentos...Sei que nao posso deixar o externo bagunçar o meu interno.
E alem do mais decidi fazer do meu dia algo inesquecivel...
Acordei cedo com uma telemensagem da minha pima Marineia...Ela trabalha no restaurante comigo...
Foi lindo e emocionante...
Depois fiz um pudim de claras que tava querendo comer desde qdo morava em Viçosa...
Fui a padaria comprar um bolo bem gostoso e refri,pois pensava:se chegar alguém pelo menos ja tem refri e bolo...
Chegando a padaria eu desisti do bolo...Só trouxe refri e um jornal...
Tive uma tarde tranquila sem mta expectativa...Dormi um pouco...
No finalzinho da tarde falei com o Públio e ele me disse que o Nengo Vieira aquele do reggae estaria na Siao...E me chamou pra ir ver...
Cara,quase morri de dor na hora do culto.Me deu uma colica parecendo colica de rins...
Mas decidi ficar...O tempo td no banheiro...Por que queria mto ouvir a pregaçao...

Do banheiro eu ouvia o culto que tava uma bençao...O cara é mto simples e fala sem rodeios sem querer encher linguiça...
Uma simplicidade assombrosa...

Falou de familia...Usando a parabola do filho pródigo...E uma das coisas que ficou marcado é que Deus nos deu o livre arbitrio e que por isto nao somos responsaveis pelos outros no sentido de que a salvaçao depende de cada um.
E por mais que vc ame o seu filho,se Jesus voltar e só vc estiver preparado e seu filho nao;ele fica e vc vai...
Nao tem como vc dare carona pra seu filho,sua esposa,enfim...

Foi doideira o culto...Como Deus falou comigo ali...

E ainda vi a Jessyka com o Weverton e a nenenzinha deles...
Cara ela ficou mto mais bonita depois que se tornou MÃE...

Dai depois do culto sai com Publio pra comer hamburger no trailer da igreja velha...

Saimos depois e fomos dar umas voltas procurando casa pra a gente alugar...Decidimos rachar um apto...
Ele prefere casa mas oque encontrarmos vai ser bençao de Deus pra nossas vidas...

Vai ser uma bençao para os dois.Vamos fazer uma célula em casa,e ele vai ter um pouco mais de conforto...
Eu tbm né...Vou ter companhia...Embora o nosso tempo seja mto corrido e nem deve dar tempo de se ver...
Vamos nos ver mais é na escola...
Estamos empolgados com esta possibilidade...Inclusive o aluguel dele ta pago ate dia 28 e ele quer mudar antes.
Falei pra ele que se nao conseguirmos nada ate la pra ele vir ficar aqui em casa até alugar o apto...
Interessante que um ano atras nós pensamos em alugar algo e nao rolou...Mas agora a coisa tem tudo pra dar certo...
Ta nas maos daquele que pode resolver qualquer situaçao...O grande Eu Sou...

E o mais emocionante foi qdo cheguei em casa...O meu amigo de sempre o Glaucio conseguiu me achar na net e pudemos comemorar meu niver...Com direito a parabens e tudo mais...
Ele me disse que pensou na possibilidade de vir pra cá mas estava tirando a carta de motorista.

Vamos nos encontrar no carnaval...Ainda nao decidimos onde.Pode ser em Viçosa ou no Rio...
Nunca passamos tanto tempo longe um do outro...Um ano e cinco meses...Tempo demais!!!

Resumindo:o meu dia foi ótimo...Consegui nao me abalar com nada a minha volta...E pra ser sincero,confesso que estou mais feliz e mais forte hoje...

Sei que tenho amigos de verdade...Se nao me deram os parabéns nao é pq nao sao meus amigos mas porque nao dao valor a estas coisas.
E eu tenhoaprendido a nao valorizar isto tbm...Pq detesto falar de idade...

Decepçao???Nunca...Continuo amando a cada um do mesmo jeito e talvez até mais por saber que sao quem sao sem mascaras...Sem bajulaçao...

Grande abraço

Paulo José Tótola
.
.

domingo, 15 de fevereiro de 2009

Moda

Despojado sim, desleixado jamais!

Para os homens, a vitoriosa combinação camiseta + bermuda + estilo

Você não curte grandes produções, mas quer roupas bacanas para o Verão 2009? Então confira as camisetas, camisas de manga curta e bermudas enfrentar o calor com praticidade e estilo!

Primeiras da lista, as listras
As camisetas pólo listradas são leves para agüentar o calor e garantem um visual mais “arrumadinho” do que as camisetas simples.

O modelo da esquerda é ...Lost, por R$ 165. O da direita é Aramis, por R$ 179 (fotos: Divulgação)

Quadrinhos para não ficar quadrado
As estampas de inspiração em HQs dão um ar moderno à produção.


Camiseta estampa VAMPIRE, da ...Lost, por R$ 128,99 (foto: Divulgação)



Fazendo graça
Camisetas com estampas e mensagens engraçadas também são uma boa pedida.


DGPH para Fiat Fashion Innovation Attitude (foto: Divulgação)

Camiseta da ...Lost por R$ 75 (foto: Divulgação)

Estampa total
Quando a camiseta tem desenhos muito detalhados, prefira calças e bermudas neutros ou com estampas discretas para equilibrar o visual.


Modelo estampado da MCD por R$ 129 (foto: Divulgação)

Camiseta C&A por R$ 29,90 (foto: Divulgação)

Bermudas
Opção é o que não falta: há modelos de todas as cores, estilos e preços, é só escolher!


Bermudas da Pernambucanas por R$ 19,99 (foto: Divulgação)

Modelo C&A por R$ 79,90 (foto: Divulgação)

Bermuda ...Lost, preço sob consulta (foto: Divulgação)

Bermuda MCD por R$ 195 (foto: Divulgação)

Neutros
Na dúvida, invista nas camisas de manga curta e bermudas de cores neutras! É um visual leve, despojado e fácil de montar.


Os dois primeiros modelos são da Aramis; o da direita é Y-MAN (fotos: Divulgação)

Aramis:
Bata branca por R$ 179
Bermuda branca por R$ 269
Sapatênis por R$ 299

Camisa xadrez por R$ 179
Bermuda cáqui por R$ 289
Sapatênis por R$ 279

Y-MAN:
Camisa: R$ 129,90
Bermuda: R$ 169,90
Sandália: R$ 119,90


SERVIÇO

  • Aramis

    C&A
    (11) 2131-0004

    Eckzem
    (62) 3520-4444

    Fiat Fashion Innovation Attitude
    A coleção pode ser encontrada nos seguintes pontos de venda:
    Surface to Air - Alameda Lorena, 1989 – (11) 3063-4206 (São Paulo)
    M&Guia – Av.Olegário Maciel, 1730 – (31) 3335-2266 (Belo Horizonte)
    Daqui do Brasil – Av Ataulfo de Paiva, 1174 – Loja A – (21) 2529-8576 (Rio de Janeiro)

    ...Lost
    (11) 3525-0544

    MCD
    (11) 3525-0544

    Pernambucanas
    4004 9200 (se você está em São Paulo e Regiões Metropolitanas) ou 0800 7249200

    Y-MAN
    0800-151976

sábado, 14 de fevereiro de 2009

VÉSPERA DE MEU NIVER...

Meu aniversario é amanhã e sinto falta de meus amigos distantes, tais como Glaucio,Juninho,Juliane...

Ah Glaucio, se soubesses que todo santo dia penso em largar tudo e estar em Viçosa contigo.
Sua ausência nao me faz nada bem...

Ao meu lado, a tristeza de uma grande amiga de trabalho me afeta também, e em pouco tempo adquiri um amor especial por ela, mas, em contrapartida, tenho vontade de esganar algumas pessoas.

Eu quero estar longe de onde eu vivo, aquilo me adoece, e queria estar perto de minha falecida avó, que só Deus sabe quanta falta me faz e quanta orientação eu gostaria de ter atualmente.
Eu ainda não superei sua morte, uma vez que sempre tivemos uma boa relação, mesmo ela me dando tudo o que eu “exigia” dela, sempre olhando para o meu umbigo, e coitada, de uma forma ou outra, ela me contemplava.
Queria que ela visse a quantidade de coisas boas que tem acontecido em minha vida e coisas que aconteceram, mas que há seis anos e meio ela perdeu a chance de me ver.

Enfim, não vejo mta graça no dia de amanhã, e apenas estou sendo levado pela maré.
Cumprindo minhas obrigações, de cara limpa ou coberto por uma máscara nao tao limpa, mas é isso aí.

Amanhã certamente ME farei uma festa surpresa e se eu não mudar de idéia, irei a um restaurante após o culto com o pessoal e com uns amigos que chamei, isto é, se eu não mudar de idéia.

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

Carta Aberta do Movimento Indígena contra o infanticídio


Ao Excelentíssimo Senhor Presidente Luiz Inácio Lula da Silva, à Primeira Dama D. Marisa e à Nação Brasileira.

Nós, indígenas do Mato Grosso e do Brasil, pedimos a sua atenção para os casos de infanticídio, que ocorrem impunemente nas aldeias indígenas do Brasil.

O infanticídio, não é um fato novo, infelizmente sempre esteve presente na história das culturas indígenas. Entretanto, tem ganhado a visibilidade na mídia com a divulgação da história da menina Hakani, da etnia Suruwahá, a qual sobreviveu ao infanticídio após o suicídio de seus pais e irmãos. Estamos vivendo um momento de profunda mudança em nossa cultura e estilo de viver, por que vivemos hoje um novo tempo. A realidade dentro das comunidades indígenas é outra. Já não vivemos confinados em nossas aldeias, condenados ao esquecimento e à ignorância. O mundo está dentro das aldeias, através dos meios de comunicação, internet e da escola, o acesso à informação têm colocado o indígena em sintonia com os acontecimentos globais.
Tudo isso tem alterado nossa visão de mundo. Hoje já não somos meros objetos de estudos, mas sujeitos, protagonistas de nossa própria história, adquirindo novos saberes e conhecimentos que valorizam a vida e a nossa cultura.

Somos índios, somos cidadãos brasileiros! Vivendo na cidade ou na aldeia, não abandonamos as riquezas de nossas culturas, mas julgamos que somos plenamente capazes de distinguir entre o que é bom e o que é danoso à vida e a cultura indígena. Desde já, assumimos as responsabilidades de nosso destino e de fazer escolhas que contribuam para o nosso crescimento. Nos recusamos ativamente a ser meros fantoches nas mãos de organizações científicas e de estudos. Chega de sermos manipulados pelas Organizações Governamentais e não-Governamentais!

Portanto manifestamos nosso repúdio à prática do infanticídio e a maneira irresponsável e desumana com que essa questão vem sendo tratada pelos Órgãos Governamentais. Não aceitamos os argumentos antropológicos baseados no relativismo cultural. De acordo com a nossa própria Constituição Brasileira de 1988, que em seu artigo 227, determina:

"É dever da família, da sociedade e do Estado, assegurar à criança e ao adolescente, com absoluta prioridade, o direito à vida, à saúde, à alimentação, à educação, ao lazer à profissionalização, à cultura, à dignidade, ao respeito, à liberdade e à convivência familiar e comunitária, além de colocá-los a salvo de toda forma de negligência, discriminação, exploração, violência, crueldade e opressão."

É em nome deste preceito constitucional que nos dirigimos suplicando à nação brasileira, em especial ao Excelentíssimo Senhor Presidente da República Luis Inácio Lula da Silva e à Primeira Dama D. Marisa assim como aos Congressistas e Governantes Estaduais e Municipais manifestando a nossa indignação com a falta de respeito à vida, em especial as vidas das crianças vítimas do infanticídio.

O recente caso da menina Isabela (Nardoni ) alcançou tal repercussão na mídia, que de imediato nós vivenciamos a dor e a angústia de sua família: parecia que Isabela era alguém da nossa própria família. Toda a nação brasileira se comoveu e se encheu de indignação com tamanha violência, acompanhando e exigindo justiça a partir de então. Quanto à punição dos suspeitos, a Justiça tem feito seu papel, e a sociedade está em alerta contra a violência infantil. Mas nós perguntamos será que a vida da Isabela tem mais valor do que aquelas crianças indígenas que são cruelmente enterradas vivas, abandonadas na mata, enforcadas por causa de falsos temores e falta de informações dos pais e da comunidade? NÃO!

Não aceitamos o infanticídio como prática cultural justificável, não concordamos com a opinião equivocada de antropólogos que têm a pretensão de justificar estes atos e assim decidir pelos povos indígenas colocando em risco o futuro de etnias inteiras. O direito a vida é um direito fundamental de qualquer ser humano na face da terra, independentemente de sua etnia ou cultura.

Ao Excelentíssimo Senhor Presidente, a Primeira Dama D. Marisa, Senhores Congressistas, Governantes Estaduais e Municipais e a cada cidadão brasileiro: os direitos humanos estão sendo violados no Brasil!! Milhares de crianças já foram enterradas, enforcadas ou afogadas e quantas mais deixaremos passar por tal crueldade?

Nosso movimento espera que a Lei Maior de nosso país seja respeitada, isto é, independentemente de etnia, cor, cultura e raça, todas as crianças gozem do direito à vida.

Nesse sentido:
- Pedimos que a Lei Muwaji seja aprovada e regulamentada;
- Pedimos ao Excelentíssimo Senhor Presidente Luís Inácio Lula da Silva e a sua esposa que pessoalmente interfiram nesse processo;
- Pedimos que os Órgãos competentes não mais se omitam em prestar socorro às mães e as crianças em risco de sofrer infanticídio.
Nós, abaixo assinados, concordamos com os termos da carta aberta e juntos com os seus autores, pedimos aos governantes do País em todas as instâncias, providências ao combate e a erradicação do infanticídio, para que assim o sangue inocente não seja mais derramado em solo indígena, em solo brasileiro.

Mato Grosso, Junho de 2008
Movimento contra o infanticídio indígena.
Contato: edsonbakairi@hotmail.com.

Edson Bakairi é líder indígena em Mato grosso, professor licenciado em História com especialização em Antropologia pela UNEMAT, presidente da OPRIMT (Organização dos professores Indígenas de MT) por 3 anos e é sobrevivente de tentativa de infanticídio - abandonado para morrer na mata, foi resgatado e preservado com vida por suas irmãs.

EU APADRINHO. E VOCÊ???


Ana Paula Valadão é uma das madrinhas da ATINI
.
Ela entendeu a importância desse ato de cidadania e de amor, e tomou a decisão de fazer parte do nosso programa de apadrinhamento.

Você também pode apadrinhar uma criança indígena sobrevivente de infanticídio e assim ajudar a escrever uma nova história para ela.
Através do nosso programa você empodera as famílias indígenas e assim elas têm dignidade e apoio para que possam defender a vida de suas crianças.

video video

Entre em contato conosco para saber como você pode ser tornar madrinha ou padrinho de uma das crianças atendidas pela ATINI.

www.apadrinhamento.atini.org

Seja uma voz pela vida

Os voluntários têm um papel social muito importante no cumprimento da missão da Atini. A proteção dos direitos das crianças indígenas não é uma causa limitada, que deve ser assumida por poucos, mas uma responsabilidade de toda a sociedade brasileira. Você pode
  • Apoiar o Movimento Indígena a favor da vida.
  • Acompanhar o que acontece com o Projeto de Lei, e cobrar das autoridades competentes.
  • Promover eventos e campanhas para envolver seus amigos, colegas de trabalho, familiares e sua comunidade com a causa. Disponibilizamos material produzido para esse fim.
  • Prestar serviços na sua área profissional, como saúde, odontologia, nutricionismo, educação, recreação, psicologia, fonoaudiologia, arte, artesanato, tradução, administração, contabilidade, informática, transporte, manutenção etc.
  • Assistir e divulgar o filme Hakani, que conta a comovente história de uma sobrevivente.
  • Fazer uma doação.
  • Apadrinhar uma criança e ajudar a transformar uma vida!

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

Nada demais mesmo

.
Como eu queria... conseguir abrir teus olhos e fazer você enxergar que tudo isso já foi longe demais, mas que ainda é possível voltar atrás, contornar essa situação criada há anos e que nos atormenta a cada dia que passa.
Enquanto dormes, vejo que o mundo lhe mostrou diversas vezes, como isso vai terminar, mas você insiste em continuar se afundando.
E aquele sorriso, que vi n’outro dia, em um futuro próximo, vai se transformar em lágrimas, nas nossas lágrimas.
O amor para mim é a junção de vários outros sentimentos, em pequenas dosagens, para criar uma composição perfeita, pura, nobre, e livre.
Só que o amor vem sendo desgastado, pois é usado verbalmente de forma errada por aqueles que não conhecem as suas reais aplicações.
Na vida eu aprendi que buscar incessantemente pela identidade é perda de tempo.
Identidade não se busca, é algo que se tem, desde sempre.
Basta abrir os olhos e enxergar a si mesmo.
.

terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

Tudo passa...


Passamos a vida toda ouvindo que namoros vêm e vão, mas os amigos ficam.
Parece até que os amigos são o prêmio de consolação que a vida nos dá, por sofrermos tanto. Mas um triste belo dia descobrimos que não, os amigos também vão.
E se não quisermos acompanhá-los ao destino para o qual eles caminham é preciso deixá-los ir...

Terminar uma amizade é como romper um namoro: é preciso esquecer os bons momentos, as boas risadas, os abraços, as provas de lealdade, abafar o amor ainda latente, e pensar somente no fato concreto de que não dá mais certo.
Aqueles 15 minutos de alegria diária que a amizade provoca não compensam as outras 23 horas e 45 minutos de problemas e brigas nas quais ela resulta.
Quando uma amizade está cheia de interrogações é preciso colocar um ponto final e arrancar o restante da página, para ninguém mais escrever.
Quando um amigo não confia mais em você é preciso que você confie em você e o deixe ir.
Se a amizade está desgastada demais,pra que insistir???
Pra nao perder???

Creio que não há nada mais egoísta do que insistir no que não dá certo apenas para não perder.

Não serei covarde, buscarei o novo! Perco e me reencontro.
Liberto meu amigo, torço pela felicidade dele e para que ele consiga com outro alguém ter uma amizade saudável como a que nós não conseguimos ter.
Apoio me nos meus outros amigos, disfarço o choro, e deixo aquele amigo ir...Ainda que meu coraçao fique sangrando eusei que isto tbm passa...
E se um dia me perguntarem sobre aquele amigo, responderei:
_Nunca mais vi...Mas esta bem...

E enquanto uma parte dos amigos ainda se lembrar nós como sendo amigos; ainda estaremos juntos de alguma forma...

Mais distante, mas não menos bonita.

domingo, 8 de fevereiro de 2009

Praticando...




Hoje é um dia mto feliz pra mim...
Estive buscando por um trabalho extra...
Tenho sentido que estou desperdiçando um tempo precioso de minha vida...
Fico a tarde quase inteira em casa fazendo nada agarrado na net e qdo vejo o tempo passou e eu nao tirei meus projetos do papel...
Entao decidi trabalhar neste horario.
Estava hoje conversando com um colega de trabalho sobre isto.
E qdo estava vindo do trabalho pra casa encontrei uma senhora que Geovane me apresentara um tempo atras.
E ela me chamou pra trabalhar com ela na cantina de uma escola tecnica aqui.
Vou pegar de 16,00 as 22,00 horas mais ou menos.
Reconheço que a principio vai ser meio cansativo mas depois me acostumo.
Vai ser uma graninha extra entrando que fará toda diferença...
Inclusive estou pensando em mudar pra mais perto do trabalho.
Já estava pensando pq aqui tem se tornado mto pequeno.Mas agora com este novo emprego é mto provavel que eu me mude de vez...
Tem um apto de dois quartos proximo ao novo trabalho e se conseguir alguém pra dividir eu pretendo pegar...

Estou mto empolgado e peço a Deus que abençoe mto esta nova fase.

Como diz Geovane;oque tem me faltado é por em pratica os meus projetos...
Mas hoje comecei a faze lo...

Na expectativa....

Vejo hoje os meus projetos como este feto crescendo no utero da mae...

Na hora certa eles nascerao e serao bençao na vida de todos que estiverem por perto...

sábado, 7 de fevereiro de 2009

Bicho do mato...



Este é o meu amigo Livio...

Como é bicho do mato...

Detesta foto mas esta ele nao pode me impedir de publicar...

Ele hoje veio me fazer uma visita e dormir aqui tambem...

Fiz um jantarzinho basico pra gente.Tudo no improviso...Nao tinha nasda pra comer nesta casa...

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009

Caminhao de lixo

Outro dia peguei um táxi e fomos direto para o aeroporto.
Estávamos rodando na faixa certa quando de repente um carro
preto saiu do acostamento na nossa frente... O motorista do
táxi pisou no freio, deslizou e escapou do outro carro por
um triz!

O motorista do outro carro sacudiu a cabeça e começou a
gritar para nós. O motorista do táxi apenas sorriu e
acenou para o cara.

E eu quero dizer que ele o fez bastante amigavelmente.
Assim eu perguntei:

- 'Porque você fez isto? Este cara quase arruina o seu
carro e nos manda para um hospital!..'

Foi quando o motorista do táxi me ensinou o que eu agora
chamo 'A Lei do Caminhão de Lixo".

Ele explicou que muitas pessoas são como caminhões de
lixo. Andam por aí carregadas de lixo, cheias de
frustrações, cheias de raiva e de desapontamento. À
medida em que suas pilhas de lixo crescem, elas precisam de
um lugar para descarregar, e às vezes descarregam sobre a
gente. Não tome isso pessoalmente.

Apenas sorria, acene, deseja-lhes o bem e siga em frente.
Não pegue o lixo delas e espalhe sobre outras pessoas, quer
seja no trabalho, em casa ou nas ruas.
O princípio disso é que pessoas bem sucedidas não deixam os caminhões de lixo
estragarem o seu dia. A vida é muito curta para levantar
cedo pela manhã com remorsos.
Assim, ame as pessoas que te tratam bem, ore e procure amar aquelas que não o fazem.

A vida é dez por cento o que você faz dela e noventa por
cento a maneira como você a recebe!..

Portanto........

quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

Normal

"Como eu não tenho o dom de ler pensamentos, eu me preocupo somente
em ser amigo e não saber quem é inimigo.
Pois assim, eu consigo apertar
a mão de quem me odeia e ajudar a quem não faria por mim o mesmo."

ღ¸.•*´¨♥ ღ¸.•*´¨♥ ღ¸.•*´¨♥ ღ¸.•*´¨♥ ღ¸.•*´¨♥ ღ¸.•*´¨♥

Acabei de chegar de uma extrinha mto boa...

Foi um jantarzinho legal...

Mto tranquilo...Valeu a pena...

Hoje o meudia foi mto bom...

Trabalhei o dia todo e aproveitei o melhor que pude...

Mas nao posso ficar falando disto agora...

Amanha eu posto algo novo...

Até lá...

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2009

Desafiando gigantes


Mesmo quem não entende nada de futebol americano, pode se emocionar com essa produção que tem um tema universal que, aplicado ao esporte, consegue angariar um bom apelo.
Trata da história de um técnico de futebol americano de uma escola que, em seis anos, jamais conseguiu levar seu time a um campeonato vitorioso.
Se sua vida profissional não vai nada bem, não é muito diferente com a sua vida pessoal. Assim, com todos os aspectos da sua vida lhe dando insatisfação, a idéia de desistir do esporte lhe parece mais tentadora do que jamais pareceu.
Mas quando um estranho visitante chega ao local, sua visão começa a mudar, já que o homem começa a mostrar ao técnico que o poder da fé poderá ser a sua salvação, e a perseverança poderá lhe dar a chave para vencer.
.

Vovó Lourdes

Maria de Lourdes Barbosa de Oliveira,tinha 79 anos,5 filhos,16netos,3bisnetos...
Os números refletem a história de quem não sabia lidar com eles.
Dona Lourdes,ou Vó Lourdinha, era semi analfabeta, mas sabia falar coisas que tocavam ao coração.

Mineira, nasceu na cidade de Ervália, onde morou grande parte da vida...
Alegre e determinada, ela cozinhou por anos nas mesmas panelas, que quando furavam, de tanto serem gastas, ela colava com durepoxi...
Também nunca entendi por que ela andava com aquele rádio de pilhas a tira-colo, sempre atenta aos resultados do jogo do bicho, um de seus poucos vícios.


Agora, virtudes ela tinha aos montes: fazia o melhor café e o melhor feijão do mundo, me escutava quando ninguém queria me ouvir, e entendia o que ninguém entendia em mim. Defendia me netos como uma leoa a defender as crias e amava aos filhos como quem ama o que se pode perder.

Casou aos 18 anos com o vovô Tota...Que morreu qdo eu era bebê...

Um dia, minha vó falou: "meu maior sonho é ter meu pedacinho de terra, para viver. Mas a única terra que eu terei será a minha cova".

Há 6anos, perdi a Vó Lourdes.
Ela está enterrada no Cemitério em Ervalia MG...

A Vó foi e nunca mais voltou. Algumas vezes eu esqueço que ela foi e acordo para pedir o cafuné dela.
Ela não está lá mais. Mas sua canequinha ainda está.
Se eu pudesse eu trocava o melhor cafuné do mundo pelo cafuné dela.

É, Vó, pena que o durepoxi tampa os buracos das suas panelas, mas não tampam os buracos que a vida deixa em nossos corações.
Um dia a gente se encontra e pode me esperar, com um copo de café e um pao de queijo na mão, e se prepara porque a gente vai bater papo até o dia amanhecer como nos velhos tempos...

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009

Novas fotos de Viçosa



Até que enfim resolvi mexer naquilo que eu mais temia.
O pen drive com umas fotos de Viçosa.

Talvez seja por medo de sofrer de novo ou pelo fato de que tipo de sentimento elas poderiam despertar em mim.

Confesso que olhei pra algumas e pensei:como seria bom se tudo fosse como nas fotos.
Vc faz uma pose,sorri ou nao.Escolhe uma roupa que goste.
Tenta fazer aquele momento algo especial na esperança de que aquele momento se eternize.

Éh...Como seria bom se pudessemos resgatar o sentimento vivido no momento em que tiramos algumas fotos.

Eu iria reviver algumas emoçoes gostosas como por exemplo o dia em que sai com um amigo pra comer pizza e conversar um pouco.
Foi mto gostoso este reencontro depois de quase dois anos longe.

Como eu esperei por este momento e planejei cada detalhe.

Ainda me lembro de ele chegar atrasado no shopping pra me avisar que ia demorar mais um pouco.
Enqto esperava tirei uma foto da visao que tive.

Depois saimos e conversamos mto.
Qdo cheguei em casa,no portao ele tirou mais uma foto.


Mas por egoismo meu acabei estragando algo que era pra ser mto especial.


Era pra eu ter aproveitado mto mais e me aborrecido mto menos ou nada.

Mas enqto há vida;há esperança...

Quem sabe no futuro as fotos possam ser bem diferentes.E talvez nem de tempo de tirar fotos.

Estou tentando rever e mudar alguns conceitos...Mas tem sido mto dificil...

Mas estou tentando...

domingo, 1 de fevereiro de 2009

AS CINCO LINGUAGENS DO AMOR

PRINCÍPIOS FUNDAMENTAIS PARA UM CASAMENTO CORRETO

-Compromisso dos parceiros com Deus
-Admiração recíproca
-Atração física
-Ligação de alma
-Caráter irrepreensível

Psicólogos concluíram que sentir-se amado é a principal necessidade do ser humano. Por amor, subimos montanhas, atravessamos mares, cruzamos desertos e enfrentamos todo tipo de adversidade. Sem amor, montanhas tornam-se insuperáveis, mares intransponíveis, desertos insuportáveis e dificuldades avoluma-se pela vida afora.
A psicóloga Dorothy Tennov desenvolveu longos estudos sobre o fenômeno paixão. Após estudar os comportamentos entre os casais, ela concluiu que o tempo médio de extensão da obsessão romântica é de dois anos. Se a paixão foi um fruto proibido, talvez dure um pouco mais.
Bem vindos ao mundo real do casamento, onde fios de cabelo sempre estarão na pia e respingos brancos da pasta de dente estarão no espelho; discussões ocorrem por causa do lado de se colocar o papel higiênico: se a folha deve ser puxada por baixo ou por cima. É um mundo onde os sapatos não andam até o guarda-roupa e as gavetas não fecham sozinhas; os casacos não gostam de cabides e pés de meia somem quando vão para a máquina de lavar. Nesse mundo, um olhar pode machucar, uma palavra pode quebrar. Amantes podem tornar-se inimigos e o casamento um campo de batalha.
A principal falha na informação é o falso conceito de que a paixão dura para sempre.
O psiquiatra M. Scott Peck concluiu que apaixonar-se não é amor verdadeiro, por três razões:

I.apaixonar-se não é um ato da vontade nem uma escolha consciente. Não importa o quanto desejemos, não conseguimos apaixonar-mos voluntariamente.

II.apaixonar-se não é amor verdadeiro porque não implica em nenhuma participação de nossa parte. Qualquer coisa que façamos apaixonados, requererá pouca disciplina e esforço. Os longos e dispendiosos telefonemas realizados, o dinheiro gasto em viagem para ficar juntos, os presentes, todo trabalho envolvido, nada representam.

III.a pessoa apaixonada não está genuinamente interessada em incentivar o crescimento pessoal daquela por quem nutre sua paixão. Se temos algum propósito em mente ao nos apaixonarmos, é o de terminar nossa própria solidão e, talvez, assegurar essa solução através do casamento. A paixão não se focaliza em nosso crescimento pessoal e nem tampouco no da outra pessoa amada. Pelo contrário, a sensação é a de que já se chegou onde se deveria alcançar e não é necessário crescer mais.

Se apaixonar-se não é amor, então o que é? Dr. Peck afirma: É um componente instintivo e geneticamente determinado do comportamento de acasalamento. Em outras palavras, um colapso temporário das reservas do ego que constituem o apaixonar-se; é uma reação estereotipada do ser humano a uma configuração de tendências sexuais internas e estimulações sexuais externas, as quais designam-se ao crescimento da probabilidade da união e elo sexual, tendo em vista a perpetuação da espécie.
Quer concordemos ou não com essa conclusão, os que se apaixonaram e saíram desse estado de paixão, concluirão que essa experiência arremessa-nos a um órbita emocional diferente de qualquer outra que porventura experimentemos. A tendência é o rompimento com a nossa razão, o que nos leva a fazer e dizer coisas que nunca faríamos ou diríamos em momentos de maior sobriedade.
Quando a onda da emoção passa e voltamos ao mundo real, onde as diferenças são notórias, quantos já fizerem para si a pergunta: Por que me casei? Não combinamos em nada.
Quando a paixão murcha, apenas uma coisa é certa sobre nosso comportamento: não será o mesmo da época em que estávamos apaixonados. O que fazemos um para o outro antes do casamento não é garantia de que continuaremos a fazer depois de casados.
Isso significa que, por termos sido fisgados dentro da ilusão da paixão, encontramo-nos agora frente a duas opções: 1. Estamos destinados a uma vida miserável com nosso cônjuge, ou 2. Devemos nos separar e tentar novamente?
As pesquisas realizadas parecem indicar que existe uma terceira e melhor alternativa: reconhecer que a paixão é o que é – um pico emocional temporário – e então desenvolver o amor verdadeiro com nosso cônjuge. Esse tipo de sentimento é de natureza emocional, mas não obsessivo. É o amor que une razão e emoção. Envolve um ato da vontade e requer disciplina, pois reconhece a necessidade de um crescimento pessoal. Nossa necessidade emocional básica não é apaixonar-se, mas ser genuinamente amado pelo outro; é conhecer o amor que cresce com base na razão e na escolha e não no instinto. Preciso ser amado por alguém que escolheu me amar, que vê em mim algo digno de ser amado.
Esse tipo de amor requer esforço e disciplina. É a escolha que fazemos de gastar nossa energia em benefício da outra pessoa, sabendo que, se sua vida é enriquecida por nosso esforço, também nos sentimos satisfeitos – a satisfação de termos realmente amado alguém. Não exige a euforia na experiência da paixão. Na verdade, o amor verdadeiro não começa enquanto a experiência da paixão não tiver seguido seu curso.
Essa é uma boa notícia aos casais que perderam seus sentimentos de paixão. Se o amor é uma opção, então eles possuem a capacidade de amar após a experiência da paixão haver passado e regressarem ao mundo real. Esse tipo de amor inicia-se com uma atitude – o modo de pensar. Amor é a atitude que diz: Sou casado com você e escolho lutar pelos seus interesses.
Enquanto a paixão é avassaladora, ela mascara e supera as necessidades eventualmente não supridas pelo parceiro, mas quando a paixão se estabiliza, precisamos aprender como suprir as profundas necessidades de amor do parceiro.
Quando o casal começa a falar os dialetos certos, os “tanques de amor” de ambos começam a encher.
Mas, como fazer isso? Raramente encontramos algum casal onde ambos possuam a mesma linguagem do amor. Normalmente as pessoas utilizam diferentes linguagens para se comunicarem, gerando muita confusão e pouco entendimento.
O mesmo acontece no âmbito do amor. Sua linguagem emocional e a de seu cônjuge podem ser tão diferentes quanto é o idioma chinês do inglês. Não importa o tanto que você se esforce para manifestar seu amor em inglês, se seu cônjuge só entende chinês; jamais conseguirão entender o quanto se amam.
Vejamos quais as espécies de linguagem do amor podemos distinguir:

PRIMEIRA LINGUAGEM DO AMOR: PALAVRAS DE AFIRMAÇÃO

Elogios verbais e palavras de apreciação são poderosos comunicadores do amor. São os melhores comunicados em forma de expressão direta e simples, como: “Você ficou tão elegante com esse terno”; “Você está muito bem com esse vestido”; “Ninguém faz essas batatas melhor que você”.
Não sugiro que use de bajulação para conseguir o que deseja de seu cônjuge. O objetivo do amor não é obter o que se quer, mas fazer algo pelo bem-estar daquele a quem se ama. É verdade, porém, que ao recebermos palavras elogiosas, de afirmação, tornamo-nos mais motivados a sermos recíprocos e a fazermos algo que nosso cônjuge deseje.
Além de elogios verbais, outra maneira de expressar palavras de afirmação é com palavras encorajadoras.
Em determinadas fases da vida todos nós nos sentimos inseguros. Não possuímos a coragem necessária, e esse medo impede-nos de realizarmos certos atos positivos que gostaríamos de concretizar. O potencial latente do seu cônjuge, nestas áreas de instabilidade, talvez espere suas palavras de encorajamento.
Encorajamento requer empatia que nos leva a enxergar o mundo segundo a perspectiva de nosso cônjuge. Devemos, em primeiro lugar, procurar saber o que é importante para ele.
Se desejamos desenvolver um relacionamento precisamos saber quais são os desejos da pessoa amada. Se queremos amar um ao outro, precisamos saber como fazê-lo.
A melhor coisa que podemos fazer com os fracassos do passado é torná-los em simples história. Sim, eles ocorreram, e machucaram. E talvez ainda magoem, mas ele reconheceu seu erro e pediu o seu perdão.
O perdão não é um sentimento, mas um compromisso. É a opção de se mostrar misericórdia e não de se jogar a ofensa no rosto do ofensor. Perdão é uma expressão de amor.
Palavras humildes: quando alguém faz um pedido a seu cônjuge, afirma as habilidades dele. Faz entender que ele possui, ou pode fazer algo, que é significativo ou valioso para o outro. No entanto, quando dá ordens, torna-se um tirano. Seu cônjuge não se sentirá afirmado, mas diminuído.

SEGUNDA LINGUAGEM DO AMOR: QUALIDADE DE TEMPO

Ter um tempo de qualidade com seu cônjuge. Querer ser alvo da sua atenção, que lhe dedique mais tempo e possam realizar algumas atividades juntos.
Qualidade de tempo significa dedicar a alguém sua inteira atenção, sem dividi-la. Não é sentar no sofá e assistir TV. É assentar-se ao sofá, com a TV desligada, olhar um para o outro e conversar, no processo de dedicação mútua. É dar um passeio juntos, só os dois. É ambos saírem para comer fora.
O aspecto central da qualidade de tempo é estar sempre juntos. Não quero dizer simples proximidade. Duas pessoas sentadas em uma mesma sala estão próximas, mas não necessariamente juntas. O estar junto tem a ver com o focalizar a atenção.
Uma conversa de qualidade deve envolver disposição para ouvir e aconselhar, quando solicitado, e jamais de forma arrogante.
Dicas para uma conversa de qualidade:
-procure olhar nos olhos do seu cônjuge quando ele lhe falar (ajuda a não divagar e comunica atenção)
-não faça outra coisa enquanto ouve seu cônjuge
-escute o “sentimento”. Pergunte-se o tipo de emoção que seu cônjuge sente no momento. Certifique-se de que seu pensamento está correto
-observe a linguagem corporal. Punhos cerrados, mãos trêmulas, lágrimas, cenho franzido indicam o sentimento
-recuse interrupções. Se eu lhe dedicar minha total atenção enquanto você fala, evitarei defender-me a fim de fazer-lhe acusações. Meu objetivo é perceber seus sentimentos e pensamentos. O alvo não é auto defender-me ou permitir que você ganhe uma discussão. A intenção é compreender o outro.
Atividades de qualidade: um dos pontos positivos das atividades de qualidade é que elas possibilitam o armazenamento de um banco de memórias ao qual podemos nos reportar pelos anos futuros. Feliz é o casal que se lembra de uma caminhada feita de manhã ao longo da praia; de uma árvore plantada no jardim; do projeto de pintura dos quartos; da noite em que foram juntos ter aulas de patim e um deles caiu e quebrou a perna; dos passeios pelo parque; de um passeio de bicicleta. Essas são memórias de amor, especialmente para aquelas pessoas cuja primeira linguagem for qualidade de tempo.

TERCEIRA LINGUAGEM DO AMOR: RECEBER PRESENTES

Antes de comprarmos um presente para alguém, pensamos naquela pessoa. O objeto em si é um símbolo daquele pensamento. Não importa se foi caro ou barato.
Símbolos visuais do amor são mais importantes para uns do que para outros. Por esse motivo, existem os que, após se casarem, nunca mais tiram a aliança porém, também há alguns que nem chegam a usá-la. Essa é uma evidência de que as pessoas possuem linguagens do amor diferentes.
Quem tem essa linguagem vive grandes emoções ao receber presentes. Vê neles expressões de amor.
Sem lembranças como símbolos visuais, o amor do cônjuge poderá até ser questionado.
Se a primeira linguagem de seu cônjuge for “receber presentes”, você deve se tornar um expert nessa área.
Não espere uma ocasião especial. Se esta for a primeira linguagem de seu cônjuge, praticamente tudo o que você lhe conceder será recebido como expressão de amor.
Se ele foi muito crítico em relação aos presentes que recebeu no passado, então essa é uma grande dica de que receber presentes não é a primeira linguagem do amor do seu cônjuge.
A presença do cônjuge, em tempos de crise, é o maior presente que se pode dar a um cônjuge cuja primeira linguagem do amor seja receber presentes.

QUARTA LINGUAGEM DO AMOR: FORMAS DE SERVIR

É fazer aquilo que você sabe que seu cônjuge gostaria que você fizesse. É procurar agradar realizando coisas que ele aprecia, expressando amor através de diversas formas de servir.
Jesus Cristo deu uma ilustração simples, porém profunda, ao expressar amor através de uma forma de serviço quando lavou os pés dos discípulos.

QUINTA LINGUAGEM DO AMOR: TOQUE FÍSICO

No casamento, o toque de amor existe em várias formas. Considerando-se que os receptores ao toque localizam-se por todo o corpo, um afago amoroso em qualquer parte pode comunicar amor a seu cônjuge.
Seu cônjuge apreciará alguns toques mais do que a outros. Aprenda com ele.
Não insista em tocar de seu jeito e em seu tempo. Aprenda a falar o dialeto do outro, pois alguns toques podem ser considerados desconfortáveis ou irritantes. Não caia no erro de achar que o que lhe traz prazer também trará a seu cônjuge.
As crises propiciam uma oportunidade singular para se expressar amor. Toques afetuosos serão lembrados muito tempo ainda após as dificuldades terem passado. Porém, a ausência de seu toque talvez jamais seja esquecida.
Um gostoso cafuné, andar de mãos dadas, abraços apertados ou não, relações sexuais, tudo isso faz parte das necessidades de quem possui o “toque físico” como sua primeira linguagem do amor.
.